AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE DE INVESTIMENTO PARA INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDENCIA UNIFAMILIAR NA CIDADE DE SÃO PAULO - SP

Publicado
2018-12-18
Palavras-chave: Energia solar Fotovoltaica, Viabilidade Financeira, Retorno Sobre o Investimento

    Autores

  • Fabio Nomachi Rodrigues Universidade Nove de Julho – UNINOVE, São Paulo
  • Claudia Terezinha Kniess Universidade Nove de Julho - UNINOVE, São Paulo
  • Luciano Caruggi-De-Faria Loughborough University
  • Heidy Rodriguez Ramos Universidade Nove de Julho – UNINOVE, São Paulo

Resumo

O objetivo deste trabalho é avaliar a viabilidade financeira para instalação de um sistema fotovoltaico em uma residência unifamiliar localizada na região oeste da cidade de São Paulo. A energia solar fotovoltaica é a energia elétrica obtida por meio da conversão direta da radiação solar em energia elétrica. Este tipo de energia vem se popularizando nos últimos anos especialmente após resolução normativa ANEEL 482/20012 que fundamenta as diretrizes da microgeração e da minigeração distribuída no Brasil. Esta resolução permite ao usuário residencial gerar sua própria energia elétrica, fornecendo o excedente à rede de distribuição, assim como consumi-la quando geração é inferior a produção. Os créditos e débitos são contabilizados no consumo de energia elétrica ativa, nunca com importâncias monetárias. A decisão pela aquisição deste sistema é formada por fatores como conhecimento da tecnologia, conscientização ambiental e custo do sistema que vem diminuindo muito nos últimos anos. Este trabalho, de natureza qualitativa e abordagem metodológica exploratória e descritiva, utiliza de análises técnicas-econômicas para estimar com precisão as condicionantes envolvidas em uma análise de investimento. Os resultados obtidos demonstram que este investimento de longo prazo é viável, uma vez que o sistema é projetado para funcionar por pelo menos 25 anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Resolução Normativa N˚ 687, 2015.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Micro e minigeração distribuída, sistema de compensação de energia elétrica. Cadernos temáticos ANEEL, 2016.

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA – ANEEL. Perguntas e respostas sobre a aplicação da Resolução Normativa N˚482/20012, 2017.

FILHO, J. C. F. A., SOUZA, C. P., GONÇALVES, D. A., CURY, M. V. Q. Finanças Corporativas. FGV Editora, RJ. 2012.

INTERNATIONAL ENERGY AGENCY. World Energy Balances: An Overview. 2017.

KOMP, R. J. Practical photovoltaics: electricity from solar cells. Aatec Publications. 1982

LUCAS, E. C. Finanças corporativas. Fundação Getúlio Vargas, SP. 2016.

MACHADO, I. S., BORBA, B. S. M. C., MACIEL, R. S. Modeling distributed PV market and its impacts on distribution system: A Brazilian case study. IEEE Latin America Transaction, 14 (11). 2016.

MACHADO, C. T., MIRANDA, F. S. Energia fotovoltaica: Uma breve revisão. Revista Virtual de Química, 7(1): 126-143. 2015.

MANTOVANI, P. R. A., NEUMANN, P. N., EDLER, M. A. R. Matriz Energética Brasileira: Em busca de uma nova alternativa. Revista Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão, 4 (1). 2016.

MARENGO, J.A., NOBRE, C.A., SELUCHI, M. E., ALVES, L. M., MENDIONDO, E. M., OBREGÓN, G., SAMPAIO, G. A seca e a crise hídrica de 2014-2015 em São Paulo. Revista USP, n. 106. 2015.

MARCHIORO, A. F., DAHMER, R. D., SOUZA, R. C. Metodologia para análise da viabilidade técnica-econômica para geração de energia fotovoltaica. VII Congresso de Energia Solar, Gramado, RS, Brasil. 2018.

MARTINS, G.A., THEÓPHILO, C.R. Metodologia da Investigação Científica para Ciências Sociais Aplicadas, 2ª ed., São Paulo, Atlas S.A. 2009.

MAUAD, F. F, FERREIRA, L. C., TRINDADE, T. C. G. Energia renovável no Brasil. Análise das principais fontes energéticas renováveis brasileiras. 2017. Recuperado de: http://www.livrosabertos.sibi.usp.br/portaldelivrosUSP/catalog/view/168/154/740-1

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA & EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA. Balanço Energético Nacional 2018, Relatório Síntese ano base 2017. 2018.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA. Nota técnica DEA 28/13, Projeção da demanda de energia elétrica para os próximos 10 anos (2014-2023). 2013.

MIRANDA, R. F. C., SZKLO, A., SCHAEFFER, R. Technical-economic potential of PV systems on Brazilian rooftop. Renewable Energy. v. 75, p. 694-713, 2015.

MITSCHER, M., RUTHER, R. Economic performance and policies for grid-connected residential solar photovoltaic systems in Brazil. Energy Policy, vol. 49(C), p. 688-694. 2012.

MORI, V., SANTOS, R. L. C., SOBRAL, L. G. S. Metalurgia do Silício: Processos de Obtenção e impactos ambientais, CETEM/MCT. 2007.

ROSA, A. R., GASPARIN, F. P. Panorama da energia solar fotovoltaica no Brasil. Revista brasileira de energia solar. v. 7, n. 2, p. 140 – 147, 2016.

SAMPAIO, P. G. V., GONZÁLEZ, M. O. A. Photovoltaic solar energy: Conceptual framework. Renewable and Sustainable Energy Reviews, 74, 590-601. 2017.

SCHIERMEIER, Q., TOLLEFSON, J., SCULLY, T., WITZE, A., MORTON, O. Electricity without carbon. Nature, 453, p. 816-823, 2008.

TOLMASQUIM, M. T. As origens da crise energética brasileira. Ambiente & Sociedade. Ano III - No 6/7 – 2000.

TOLMASQUIM, M. T., GUERREIRO, A., GORINI, R. Matriz energética brasileira: Uma perspectiva. CEBRAP, (79), 47-69. 2007.

VERGARA, S. C. Tipos de Pesquisa em Administração. Cadernos da Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getúlio Vargas, p.1-21.1990.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e método. 5ª ed. Porto Alegre. Bookman. 2015.
Como Citar
RODRIGUES, F. N. .; KNIESS, C. T. .; CARUGGI-DE-FARIA, L. .; RAMOS, H. R. . AVALIAÇÃO DA VIABILIDADE DE INVESTIMENTO PARA INSTALAÇÃO DE UM SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDENCIA UNIFAMILIAR NA CIDADE DE SÃO PAULO - SP. Journal of Urban Technology and Sustainability, v. 1, n. 1, p. 28-38, 18 dez. 2018.