Discurso sustentável e a prática de remanejamento: Estudo de caso em intervenção habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento em Belém (PA)

Publicado
2020-12-01
Palavras-chave: Discurso sustentável, Programa de aceleração de crescimento, Projeto de trabalho técnico social

    Autores

  • Marlon D. Castro Universidade Federal do Pará (NAEA/UFPA), Pará

Resumo

Remanejamentos urbanos têm sido as práticas mais comuns para reduzir a quantidade de assentamentos precários vulneráveis do ponto de vista socioambiental na Região Metropolitana de Belém nas últimas décadas, mas seus resultados e efetividade ainda são discutíveis. Este artigo procura analisar as interpretações discursivas e aproximações ao conceito de sustentabilidade urbana em uma intervenção de habitação de interesse social oriunda do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Belém (PA), a partir do Projeto de Trabalho Técnico Social (PTTS), visando estabelecer nexos de sustentabilidade entre a população atendida pelo Programa durante a realização das obras da intervenção – o Projeto Taboquinha, localizado no distrito de Icoaraci. Foi utilizada pesquisa qualitativa a partir dos projetos técnicos, documentos, além de entrevistas semiestruturadas com técnicos elaboradores e executores. Percebe-se que em relação à sustentabilidade, tomando por base a categoria lazer, foco do estudo, o Projeto reproduz espaços sem relação com as vivências materiais e substantivas dos sujeitos atendidos, desconsiderando suas necessidades e práticas cotidianas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABIKO, A.; COELHO, L. O. Urbanização de Favelas: procedimentos de gestão. Porto Alegre: ANTAC, 2009.

ACSELRAD, H. Discursos da Sustentabilidade Urbana. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, número 1, 1999.
Como Citar
CASTRO, M. D. . Discurso sustentável e a prática de remanejamento: Estudo de caso em intervenção habitacional do Programa de Aceleração do Crescimento em Belém (PA). Journal of Urban Technology and Sustainability, v. 3, n. 1, p. 89-105, 1 dez. 2020.